A relação entre psicossomática e os distúrbios capilares

A psicossomática define-se como a influência psíquica na parte física do organismo, ou seja, a ação simultânea entre corpo e mente.
Estudos recentes demostram a correlação entre psicossomática e os distúrbios capilares. Tais estudos referem-se a Psicotricologia, área que relata a ligação entre psique e patologias referente ao couro cabeludo e suas demais estruturas.
E de fato há essa ligação, pois as células que originam a pele, consequentemente toda a estrutura pilossebácea, são as mesmas que dão origem ao sistema nervoso. Esse desenvolvimento ocorre de modo simultâneo na camada mais externa durante a formação do feto, na Ectoderma.
Essa conexão ocorre através de uma rede neuro imuno cutâneo endócrina, que processa constantemente ao longo de nossas vidas a ligação entre sistema nervoso e tecido epitelial. Sendo assim, observa-se que muitos distúrbios capilares possuem relação com o estado emocional do cliente.
Esses conflitos emocionais manifestam-se por algum órgão de choque, neste caso, a pele e seus anexos.
Sabemos que a pele, sendo o maior órgão do nosso sistema, possui uma predisposição a refletir as oscilações emocionais. E essas oscilações, quando externadas, dão origem as patologias, que são classificadas de acordo com a desordem psiquiátrica do indivíduo.
Existem três tipos: as desordens psiquiátricas primárias, que consistem em distúrbios dermatológicos auto induzidos, como por exemplo a Tricotilomania, que são impulsos recorrentes e irresistíveis de puxar os pelos do corpo e cabelos. As desordens psiquiátricas secundárias são caracterizadas pelas dermatoses graves de cunho autoimune, como a Psoríase: que consiste na produção exacerbada das células epiteliais. E as desordens psicofisiológicas, que são dermatoses de base multifatorial, cujo curso é precipitado ou exacerbado pelo estado emocional do indivíduo, como na Dermatite Seborreica, que trata-se de um distúrbio inflamatório, com aumento na produção de sebo pelas glândulas sebáceas e sua evolução pode ser relacionada a altos níveis de estresse.
Portanto, a uma clara relação entre a psicossomática e os distúrbios capilares, é necessário enxergar o cliente de modo holístico. Desta maneira, podemos entender que a terapêutica ideal envolve o atendimento vetorizado, que consiste na ação de diversos profissionais atuando de modo multidisciplinar fornecendo os suportes necessários para este cliente.

Grande abraço.

Prof. Quíron Gibran